Home | Livros | Companhia das Letras | OS VELHOS MARINHEIROS, OU, O CAPITÃO-DE-LONGO-CURSO
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

OS VELHOS MARINHEIROS, OU, O CAPITÃO-DE-LONGO-CURSO

Jorge Amado

R$ 67,90

/ À vista

Apresentação

Divertida parábola sobre os limites entre a verdade e o mito, narrada por um historiador de província que busca reconstituir os fatos trinta anos depois de ocorridos.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Os velhos marinheiros, ou, O capitão-de-longo-curso

Jorge Amado

R$ 67,90

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 77,90

Companhia das Letras

Tocaia grande

Jorge Amado

R$ 87,90

Preço total de

R$ 233,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 77,90

Companhia das Letras

Gabriela cravo e canela

Jorge Amado

R$ 77,90

Companhia das Letras

Os pastores da noite

Jorge Amado

R$ 72,90

Companhia das Letras

O cavaleiro da esperança

Jorge Amado

R$ 82,90

Companhia das Letras

O menino grapiúna

Jorge Amado

R$ 49,90

Companhia das Letras

Terras do sem-fim

Jorge Amado

R$ 67,90

Indisponível

Companhia das Letras

Durante aquele estranho chá

Lygia Fagundes Telles

R$ 54,90

Companhia das Letras

Tenda dos milagres

Jorge Amado

R$ 72,90

Indisponível

Companhia das Letras

Tereza Batista cansada de guerra

Jorge Amado

R$ 77,90

Companhia das Letras

Os ásperos tempos

Jorge Amado

R$ 67,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Os velhos marinheiros ou o capitão-de-longo-curso Páginas: 296 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.359 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/03/2009
ISBN: 978-85-3591-407-8 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Divertida parábola sobre os limites entre a verdade e o mito, narrada por um historiador de província que busca reconstituir os fatos trinta anos depois de ocorridos.

Num belo dia de 1929, chega à estação de trem de Periperi - um pacato vilarejo de veraneio na periferia de Salvador - um personagem singular, vestindo túnica de oficial da marinha mercante: comandante Vasco Moscoso de Aragão, capitão-de-longo-curso. Aos sessenta anos, ele se declara cansado de navegar mundo afora e diz que veio para ficar.
Logo se torna figura de destaque na comunidade local, composta quase exclusivamente de aposentados, encantando a todos com seus relatos de aventuras românticas e exóticas. Ou a quase todos. Um grupo de cidadãos enciumados com o prestígio do recém-chegado questiona a veracidade das histórias e até mesmo sua condição de comandante.
O fiscal aposentado Chico Pacheco, líder dos questionadores, empreende uma investigação implacável em Salvador e volta com a bombástica notícia de que Aragão é uma fraude: não passa de um velho boêmio, que torrou nos bordéis e cabarés o patrimônio do avô português, comerciante de secos e molhados. Seu título de capitão-de-longo-curso fora obtido por meio de corrupção e malandragem.
Quem estará com a razão? O comandante ou seus detratores? O tira-teima definitivo se apresenta na forma de uma última missão para a qual o comandante é convocado: levar ao porto de chegada um navio cujo capitão morrera em alto-mar.
O romance foi publicado originalmente em 1961, no volume Os velhos marinheiros - Duas histórias do cais da Bahia, que incluía a novela A morte e a morte de Quincas Berro Dágua.