Home | Livros | Companhia das Letras | TOCAIA GRANDE
CLIQUE PARA AMPLIAR

TOCAIA GRANDE

Jorge Amado

R$ 99,90

/ À vista

Apresentação

Saga da constituição de um lugarejo na região cacaueira do sul da Bahia, Tocaia Grande atravessa décadas acompanhando personagens plenos de vida e verdade. Nesta obra de maturidade e de pleno domínio sobre seus recursos literários, Jorge Amado combina o registro épico ao lírico e ao satírico.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Tocaia grande

Jorge Amado

R$ 99,90

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 94,90

Companhia das Letras

Os velhos marinheiros, ou, O capitão-de-longo-curso

Jorge Amado

R$ 84,90

Preço total de

R$ 279,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 94,90

Companhia das Letras

Tenda dos milagres

Jorge Amado

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

Terras do sem-fim

Jorge Amado

R$ 79,90

Companhia das Letras

Tereza Batista cansada de guerra

Jorge Amado

R$ 99,90

Companhia das Letras

Gabriela cravo e canela

Jorge Amado

R$ 89,90

Companhia das Letras

Os velhos marinheiros, ou, O capitão-de-longo-curso

Jorge Amado

R$ 84,90

Companhia das Letras

Dona flor e seus dois maridos

Jorge Amado

R$ 99,90

Indisponível

Companhia das Letras

Tieta do Agreste

Jorge Amado

R$ 109,90

Companhia das Letras

O país do carnaval

Jorge Amado

R$ 79,90

Ficha Técnica

Título original: Tocaia grande Páginas: 472 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.574 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 10/03/2008
ISBN: 978-85-3591-184-8 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Saga da constituição de um lugarejo na região cacaueira do sul da Bahia, Tocaia Grande atravessa décadas acompanhando personagens plenos de vida e verdade. Nesta obra de maturidade e de pleno domínio sobre seus recursos literários, Jorge Amado combina o registro épico ao lírico e ao satírico.

Publicado em 1984, Tocaia Grande descreve o processo de formação de uma cidade nordestina, nascida sob o signo da violência e da disputa de terras, em inícios do século XX.
Depois de liderar uma tocaia contra o oponente de seu patrão, o jagunço Natário da Fonseca recebe alguns alqueires próximos ao palco da matança, onde passa a cultivar cacau. A chegada de comerciantes, prostitutas, tropeiros e ex-escravos ao local dá vida e contornos ao arraial.
Personagens fortes, independentes e solitários - como a cafetina Jacinta Coroca; o negro Castor Abduim, conhecido como Tição Aceso, e o comerciante libanês Fadul Abdala -, encontram em Tocaia Grande um refúgio e o conforto da amizade.
Com a prosa leve e bem-humorada de sempre, Jorge Amado relata a união profunda e os laços de afeto que se desenvolvem entre os habitantes de Tocaia Grande, e que serão responsáveis pelo crescimento do povoado e por sua resistência à pressão da Igreja e do poder político-econômico para se enquadrar no sistema coronelista.