Home | Livros | Companhia das Letras | GABRIELA CRAVO E CANELA
CLIQUE PARA AMPLIAR

GABRIELA CRAVO E CANELA

Jorge Amado

R$ 89,90

/ À vista

Apresentação

Entrelaçando fundo e figura de modo sutil, o autor fala de um momento crucial da vida social brasileira, ao mesmo tempo que narra uma surpreendente história de amor. Posfácio de José Paulo Paes.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Gabriela cravo e canela

Jorge Amado

R$ 89,90

Companhia das Letras

Dona flor e seus dois maridos

Jorge Amado

R$ 99,90

Companhia das Letras

Tieta do Agreste

Jorge Amado

R$ 109,90

Preço total de

R$ 299,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Dona flor e seus dois maridos

Jorge Amado

R$ 99,90

Indisponível

Companhia das Letras

Tieta do Agreste

Jorge Amado

R$ 109,90

Companhia das Letras

Tereza Batista cansada de guerra

Jorge Amado

R$ 99,90

Edição Econômica

Gabriela cravo e canela

Jorge Amado

R$ 69,90

Companhia das Letras

Capitães da areia

Jorge Amado

R$ 69,90

Companhia das Letras

São Jorge dos Ilhéus

Jorge Amado

R$ 94,90

Companhia das Letras

Tenda dos milagres

Jorge Amado

R$ 94,90

Indisponível

Companhia das Letras

A morte e a morte de Quincas Berro D'água

Jorge Amado

R$ 59,90

Companhia das Letras

Os velhos marinheiros, ou, O capitão-de-longo-curso

Jorge Amado

R$ 84,90

Companhia das Letras

O país do carnaval

Jorge Amado

R$ 79,90

Ficha Técnica

Título original: Gabriela, cravo e canela Páginas: 424 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.594 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 03/07/2008
ISBN: 978-85-3591-238-8 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Entrelaçando fundo e figura de modo sutil, o autor fala de um momento crucial da vida social brasileira, ao mesmo tempo que narra uma surpreendente história de amor. Posfácio de José Paulo Paes.

O romance entre o sírio Nacib e a mulata Gabriela, um dos mais sedutores personagens femininos criados por Jorge Amado, tem como pano de fundo, em meados dos anos 20, a luta pela modernização material e cultural de Ilhéus, então em franco desenvolvimento graças às exportações do cacau da região. O eixo da história é a relação delicada e complexa entre as transformações materiais e as idéias morais. Com sua sensualidade inocente, a cozinheira Gabriela não apenas conquista o coração de Nacib como também seduz um sem-número de homens ilheuense, colocando em xeque a férrea lei local que exigia que a desonra do adultério feminino fosse lavada com sangue.
Publicado em 1958, Gabriela, cravo e canela logo se tornou um sucesso mundial. Na televisão, a história se transformou numa das novelas brasileiras mais aclamadas mundo afora. No cinema, Nacib é vivido por Marcello Mastroianni, e Gabriela, por Sônia Braga.