Home | Livros | Companhia das Letras | HISTÓRIA DA ETERNIDADE
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

HISTÓRIA DA ETERNIDADE

Jorge Luis Borges
Tradução: Heloisa Jahn

R$ 54,90

/ À vista

Apresentação

Coletânea de ensaios enfeixados pelo tema do infinito e da repetição, História da eternidade simboliza talvez a maior inflexão na obra de Borges, que aqui abandona a mitologia dos arrabaldes portenhos e passa a se dedicar a assuntos universais.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

História da eternidade

Jorge Luis Borges

R$ 54,90

Companhia das Letras

O Aleph

Jorge Luis Borges

R$ 62,90

Companhia das Letras

Borges oral & sete noites

Jorge Luis Borges

R$ 62,90

Preço total de

R$ 180,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Borges oral & sete noites

Jorge Luis Borges

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

História universal da infâmia (1935)

Jorge Luis Borges

R$ 52,90

Companhia das Letras

Nova antologia pessoal

Jorge Luis Borges

R$ 67,90

Companhia das Letras

O livro dos seres imaginários

Jorge Luis Borges

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Nove ensaios dantescos & a memória de Shakespeare

Jorge Luis Borges

R$ 49,90

Companhia das Letras

Antologia da literatura fantástica

Jorge Luis Borges Adolfo Bioy Casares Silvina Ocampo

R$ 102,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Historia de la eternidad Páginas: 128 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.196 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 22/09/2010
ISBN: 978-85-3591-724-6 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Coletânea de ensaios enfeixados pelo tema do infinito e da repetição, História da eternidade simboliza talvez a maior inflexão na obra de Borges, que aqui abandona a mitologia dos arrabaldes portenhos e passa a se dedicar a assuntos universais.

A singular "História da eternidade", que dá título ao volume, publicada originalmente em 1936, um ano depois da "História universal da infâmia", como esta desafia o leitor desde o título. Uma antinomia opõe a noção de história, feita de sucessão temporal, movimento e mudança, à ideia estática de uma duração sem fim que o termo "eternidade" evoca. O desejo de escrever uma espécie de "biografia da eternidade" que nos libertaria da opressão do tempo sucessivo sempre atraiu Borges, que jamais abandonou o interesse pelos temas deste livro, mesmo quando, mais tarde, reprova o que então havia escrito sobre eles.
Na verdade, a coletânea marca uma virada na carreira do escritor, que se abre ostensivamente para a universalidade estampada desde o título. São agora motivos da inquirição intelectual do ensaísta as doutrinas do tempo cíclico, as Mil e uma noites e seus tradutores, a metáfora e as velhas imagens da poesia da Islândia. Numa das notas finais, discreta e tímida em meio a preocupações retóricas, desponta uma narrativa disfarçada de resenha crítica: "A aproximação a Almotásim", em que se dá a ver um de seus primeiros exercícios de prosa de ficção. O ensaio que almeja espraiar-se até o infinito de repente desemboca no conto de uma aproximação sem termo, história de uma busca infindável.

Sobre o autor