Home | Livros | Companhia das Letras | AS AVENTURAS DA VIRTUDE
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

AS AVENTURAS DA VIRTUDE

Newton Bignotto

R$ 77,90

/ À vista

Apresentação

Percorrendo desde as páginas plácidas de Montesquieu até os anos angustiantes que se seguiram à queda de Robespierre, o filósofo político Newton Bignotto acompanha, em As aventuras da virtude, o tortuoso percurso do léxico republicano durante a Revolução Francesa.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

As aventuras da virtude

Newton Bignotto

R$ 77,90

Companhia das Letras

Diante da dor dos outros

Susan Sontag

R$ 54,90

Companhia das Letras

Dicionário da república

Lilia Moritz Schwarcz (Org.) e Heloisa Murgel Starling (Org.)

R$ 114,90

Preço total de

R$ 247,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Fotografia e império

Natalia Brizuela

R$ 87,90

Companhia das Letras

O caso Dreyfus

Louis Begley

R$ 62,90

Indisponível

Companhia das Letras

Vultos da República

Humberto Werneck

R$ 72,90

Companhia das Letras

Diante da dor dos outros

Susan Sontag

R$ 54,90

Indisponível

Companhia das Letras

Método prático da guerrilha

Marcelo Ferroni

R$ 62,90

Companhia das Letras

Travessias difíceis

Simon Schama

R$ 87,90

Companhia das Letras

Freud (1930-1936) - Obras completas volume 18

Sigmund Freud

R$ 87,90

Ficha Técnica

Título original: As aventuras da virtude Páginas: 400 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.487 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 20/10/2010
ISBN: 978-85-3591-747-5 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Percorrendo desde as páginas plácidas de Montesquieu até os anos angustiantes que se seguiram à queda de Robespierre, o filósofo político Newton Bignotto acompanha, em As aventuras da virtude, o tortuoso percurso do léxico republicano durante a Revolução Francesa.

As aventuras da virtude mostra que havia no século XVIII uma linguagem republicana anterior às ameaças efetivas ao regime monárquico, e que encontrou nos anos decisivos da Revolução terreno fértil para se desenvolver. Recriada pelos iluministas em seus passeios pela Antiguidade e transformada por Rousseau, que a ela forneceu uma gramática rigorosa e inovadora, essa linguagem tornou-se um código obrigatório quando o Antigo Regime ruiu definitivamente.
Nesse caminho, uma noção ocupou um lugar de destaque: a virtude. Seguir os caminhos e percalços da virtude é uma maneira não apenas de acompanhar o processo de transformação da paisagem política e intelectual da França, mas também de assistir ao encontro da nova realidade do século das Luzes com ideias e concepções de um mundo que já desaparecera.
Estas surpreendentes aventuras e desventuras da formação do pensamento republicano francês nos oferecem um material inestimável de reflexão, num momento em que, como lembra o próprio autor, "a interrogação sobre a república e a liberdade está longe de ser uma mera querela de eruditos".

Sobre o autor