CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

R$ 67,90

/ À vista

Apresentação

Biografia do proprietário de um império de quase cem jornais, revistas, estações de rádio e de televisão. Figura carismática e intempestiva, Assis Chateaubriand teve uma trajetória indissociável da vida cultural e política do país entre as décadas de 1910 e 1960.

Frequentemente comprados juntos

Edição Econômica

Chatô

Fernando Morais

R$ 67,90

Companhia de Bolso

Olga

Fernando Morais

R$ 47,90

Objetiva

Maria Bonita

Adriana Negreiros

R$ 59,90

Preço total de

R$ 175,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Ficha Técnica

Título original: Chatô (edição econômica) Páginas: 624 Formato: 16.00 X 23.00 cm Peso: 0.841 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 28/10/2011
ISBN: 978-85-3591-977-6 Selo: Edição Econômica Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Biografia do proprietário de um império de quase cem jornais, revistas, estações de rádio e de televisão. Figura carismática e intempestiva, Assis Chateaubriand teve uma trajetória indissociável da vida cultural e política do país entre as décadas de 1910 e 1960.

Dono de um império de quase cem jornais, revistas, estações de rádio e televisão - os Diários Associados - e fundador do MASP, Assis Chateaubriand, ou apenas Chatô, sempre atuou na política, nos negócios e nas artes como se fosse um cidadão acima do bem e do mal. Mais temido do que amado, sua complexa e muitas vezes divertida trajetória está associada de modo indissolúvel à vida cultural e política do país entre as décadas de 1910 e 1960.
Chantagista, crápula, escroque, patife, ladrão, tarado - de tudo o que se pode imaginar de ruim ele foi chamado (poucas vezes pela frente, é verdade) por críticos e inimigos. Mas palavras de alta voltagem como empreendedor, pioneiro, visionário, gênio e mecenas também se usaram, torrencialmente, para tentar defini-lo. Como bem mostra Fernando Morais, em nenhum dos dois casos isso se dá por acaso. Chatô, o rei do Brasil é obra de grande esforço jornalístico para retratar, com equilíbrio e rigor, um personagem tão complexo quanto fascinante.

"Chatô ensina um bom pedaço da história brasileira da primeira metade do século XX." - revista Veja

Sobre o autor