Home | Livros | Companhia das Letras | POESIA ANTIPOESIA ANTROPOFAGIA & CIA.
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

POESIA ANTIPOESIA ANTROPOFAGIA & CIA.

Augusto de Campos

R$ 67,90

/ À vista

Apresentação

Para poetas e curtidores de poesia: lançada em 1978, reunião de ensaios sobre obras revolucionárias da poesia brasileira ganha edição ampliada.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Poesia Antipoesia Antropofagia & Cia.

Augusto de Campos

R$ 67,90

Companhia das Letras

Poesias reunidas

Oswald de Andrade

R$ 77,90

Companhia das Letras

É agora como nunca

Adriana Calcanhotto (Org.)

R$ 49,90

Preço total de

R$ 195,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Companhia das Letras

Poemas

Rainer Maria Rilke

R$ 49,90

Indisponível

Companhia das Letras

Distraídos venceremos

Paulo Leminski

R$ 37,90

Companhia das Letras

Agora aqui ninguém precisa de si

Arnaldo Antunes

R$ 52,90

Companhia das Letras

O anticrítico (Nova Edição)

Augusto de Campos

R$ 67,90

Boa Companhia

Haicais tropicais

Vários autores

R$ 49,90

Indisponível

Ficha Técnica

Páginas: 328 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.401 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 27/10/2015
ISBN: 978-85-3592-646-0 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Para poetas e curtidores de poesia: lançada em 1978, reunião de ensaios sobre obras revolucionárias da poesia brasileira ganha edição ampliada.

Para poetas e curtidores de poesia: lançada em 1978, reunião de ensaios sobre obras revolucionárias da poesia brasileira ganha edição ampliada.

Guimarães Rosa, Mario Faustino, João Cabral, Ferreira Gullar, Wlademir Dias-Pino, Gregorio de Matos e Oswald de Andrade. A primeira edição de Poesia, Antipoesia e Antropofagia, de 1978, reunia as "incursões errático-críticas" de Augusto de Campos sobre poetas que, como ele, revolucionaram a poesia brasileira vigente.
Passados mais de 35 anos, esta edição revista e ampliada pelo autor volta às livrarias, com a seção & cia., incluindo textos publicados desde então. Os objetos de análise são Ernani Rosas, Oswald de Andrade (novos textos), Sousândrade, Décio Pignatari, Cyro Pimentel, Erthos Albino de Souza e Waldemar Cordeiro, além de reflexões sobre as perspectivas oferecidas à poesia concreta pelas novas tecnologias.