Home | Livros | Objetiva | A CAPITAL DA SOLIDÃO
CLIQUE PARA AMPLIAR

A CAPITAL DA SOLIDÃO

Roberto Pompeu de Toledo

R$ 87,90

/ À vista

Apresentação

Ilustrada com rico material iconográfico como mapas, fotos e gravuras, A capital da solidão é biografia exemplar de uma personagem que seduz e intriga desde suas origens - a cidade de São Paulo.

Frequentemente comprados juntos

Objetiva

A capital da solidão

Roberto Pompeu de Toledo

R$ 87,90

Objetiva

A capital da vertigem

Roberto Pompeu de Toledo

R$ 84,90

Objetiva

Rondon

Larry Rohter

R$ 112,90

Preço total de

R$ 285,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Objetiva

A capital da vertigem

Roberto Pompeu de Toledo

R$ 84,90

Companhia das Letras

Saudades de São Paulo

Claude Lévi-Strauss

R$ 197,90

Companhia das Letras

Retrato em branco e negro

Lilia M. Schwarcz

R$ 77,90

Objetiva

Rondon

Larry Rohter

R$ 112,90

Indisponível

Companhia das Letras

Orfeu extático na metrópole

Nicolau Sevcenko

R$ 82,90

Indisponível

Companhia das Letras

Coronelismo enxada e voto

Victor Nunes Leal

R$ 77,90

Companhia das Letras

Dicionário da escravidão e liberdade

Lilia Moritz Schwarcz Flávio dos Santos Gomes

R$ 87,90

Companhia das Letras

O crime do restaurante chinês

Boris Fausto

R$ 67,90

Indisponível

Companhia das Letras

O espetáculo das raças

Lilia Moritz Schwarcz

R$ 67,90

Ficha Técnica

Páginas: 560 Formato: 16.20 X 23.50 cm Peso: 0.77 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 06/11/2003
ISBN: 978-85-7302-568-2 Selo: Objetiva Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Ilustrada com rico material iconográfico como mapas, fotos e gravuras, A capital da solidão é biografia exemplar de uma personagem que seduz e intriga desde suas origens - a cidade de São Paulo.

De todos os paradoxos de São Paulo, um dos maiores é o que oferece o cotejo de seu presente com o seu passado. A metrópole vertiginosa e trepidante de hoje nasceu distante, fora do alcance dos navios portugueses, escondida pela serra do Mar - uma barreira que foi obstáculo, mas também desafio a vencer, definindo a personalidade desta São Paulo. Numa narrativa envolvente e reveladora, o leitor é convidado a conhecer momentos cruciais da trajetória da cidade que, por mais de uma ocasião, esteve ameaçada de penosos retrocessos, senão de extinção, por motivo do abandono dos moradores, da precariedade de recursos e do que por vezes pareceu uma irremediável falta de futuro. O destino de São Paulo, ao longo dos três primeiros séculos de existência, foi de isolamento e de solidão. Em 1872, os primeiros sinais de prosperidade começavam a visitá-la, por conta da riqueza trazida pelo café, mais ainda assim a população de pouco mais de 30 mil habitantes a situava numa rabeira com relação às demais capitais brasileiras. Em 1890 já tinha dobrado de tamanho. O momento em que finalmente engrena é súbito como uma explosão - na passagem do século XIX para o XX, a cidade se transformou num aglomerado de gente vinda de diferentes partes do mundo e começou a virar a São Paulo que se conhece hoje.

Sobre o autor