Home | Livros | Companhia das Letras | SAUDADES DE SÃO PAULO
CLIQUE PARA AMPLIAR

SAUDADES DE SÃO PAULO

Claude Lévi-Strauss
Tradução: Paulo Neves

R$ 197,90

/ À vista
ou em até 3x no crédito de R$ 65,97

Apresentação

Fotos de São Paulo tiradas entre 1935 e 1938 pelo grande antropólogo francês, introduzidas por um prólogo admirável, no qual se lembra da convivência e das andanças com colegas brasileiros.

Frequentemente comprados juntos

Companhia das Letras

Saudades de São Paulo

Claude Lévi-Strauss

R$ 197,90

Companhia das Letras

Saudades do Brasil

Claude Lévi-Strauss

R$ 204,90

Companhia das Letras

Nu, de botas

Antonio Prata

R$ 52,90

Preço total de

R$ 455,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Objetiva

A capital da solidão

Roberto Pompeu de Toledo

R$ 87,90

Objetiva

A capital da vertigem

Roberto Pompeu de Toledo

R$ 84,90

Companhia das Letras

Retrato em branco e negro

Lilia M. Schwarcz

R$ 77,90

Companhia das Letras

Orfeu extático na metrópole

Nicolau Sevcenko

R$ 82,90

Indisponível

Zahar

O cru e o cozido

Claude Lévi-Strauss

R$ 90,32

Companhia das Letras

Olhar escutar ler

Claude Lévi-Strauss

R$ 54,90

Indisponível

Companhia das Letras

O sol se põe em São Paulo

Bernardo Carvalho

R$ 62,90

Indisponível

Ficha Técnica

Título original: Saudades de São Paulo Páginas: 108 Formato: 22.00 X 27.00 cm Peso: 0.861 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 22/01/1996
ISBN: 978-85-7164-521-9 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Fotos de São Paulo tiradas entre 1935 e 1938 pelo grande antropólogo francês, introduzidas por um prólogo admirável, no qual se lembra da convivência e das andanças com colegas brasileiros.

Uma cidade em que o gado convivia com carros e bondes nas ruas; em que construções moderníssimas despontavam no topo de colinas ainda rústicas; em que lençóis caseiros, pendurados nos varais, formavam o primeiro plano para o imponente prédio Martinelli.Essa a paisagem que Claude Lévi-Strauss, então um jovem professor e fotógrafo nas horas vagas, encontrou e registrou fascinado entre 1935 e 1937, quando veio trabalhar na Universidade de São Paulo. Sessenta anos mais tarde, ciente de que uma cidade é "como um texto que, para compreender, é preciso saber ler e analisar", o antropólogo escreveu um depoimento memorável em que revisita essas imagens. Construindo para as novas gerações o mapa de uma belíssima viagem, no espaço e no tempo.

Sobre o autor