Home | Livros | Alfaguara | QUARENTA DIAS
CLIQUE PARA AMPLIAR

QUARENTA DIAS

Maria Valéria Rezende

R$ 52,90

/ À vista

Apresentação

Romance vencedor do prêmio Jabuti, Quarenta dias é um relato emocional e profundo de uma busca desesperada.

Frequentemente comprados juntos

Alfaguara

Quarenta dias

Maria Valéria Rezende

R$ 52,90

Alfaguara

Carta à rainha louca

Maria Valéria Rezende

R$ 62,90

Alfaguara

Vasto mundo

Maria Valéria Rezende

R$ 52,90

Preço total de

R$ 168,70

Adicionar ao carrinho

Você pode gostar também de

Alfaguara

Carta à rainha louca

Maria Valéria Rezende

R$ 62,90

Alfaguara

O voo da guará vermelha

Maria Valéria Rezende

R$ 52,90

Alfaguara

Redemoinho em dia quente

Jarid Arraes

R$ 46,32

Companhia das Letras

A vida invisível de Eurídice Gusmão

Martha Batalha

R$ 57,90

Alfaguara

Luzes de emergência se acenderão automaticamente

Luisa Geisler

R$ 62,90

Companhia das Letras

Antes do baile verde

Lygia Fagundes Telles

R$ 64,90

Indisponível

Alfaguara

Modo de apanhar pássaros à mão (Nova edição)

Maria Valéria Rezende

R$ 49,90

Companhia das Letras

Grande sertão: veredas

João Guimarães Rosa

R$ 99,90

Ficha Técnica

Páginas: 248 Formato: 15.00 X 23.40 cm Peso: 0.377 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 25/03/2014
ISBN: 978-85-7962-289-2 Selo: Alfaguara Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Romance vencedor do prêmio Jabuti, Quarenta dias é um relato emocional e profundo de uma busca desesperada.

"Quarenta dias no deserto, quarenta anos." É o que escreve Alice, a narradora de Quarenta dias, ao anotar num caderno escolar pautado seu mergulho gradual em dias de desespero, perdida numa periferia empobrecida que ela não conhece, à procura de um rapaz que ela não sabe ao certo se existe. Alice é uma professora aposentada, que mantinha uma vida pacata em João Pessoa até ser obrigada pela filha a deixar tudo para trás e se mudar para Porto Alegre. Mas uma reviravolta familiar a deixa abandonada à própria sorte, numa cidade que lhe é estranha, e impossibilitada de voltar ao antigo lar. Ao saber que Cícero Araújo, filho de uma conhecida da Paraíba, desapareceu em algum lugar dali, ela se lança numa busca frenética, que a levará às raias da insanidade. "Eu não contava mais horas nem dias", escreve Alice. "Guiavam-me o amanhecer e o entardecer, a chuva, o frio, o sol, a fome que se resolvia com qualquer coisa, não mais de dez reais por dia."

Sobre o autor