Home | Livros | Companhia das Letras | OUTRAS INQUISIÇÕES
CLIQUE PARA AMPLIAR
Ler um trecho

OUTRAS INQUISIÇÕES

Jorge Luis Borges
Tradução: Arrigucci Jr., Davi

R$ 74,90

/ À vista

Apresentação

Coletânea de ensaios publicados em revistas e jornais argentinos entre 1936 e 1952, Outras inquisições é uma miscelânea bem ao gosto de Borges: uma reunião aparentemente arbitrária de textos, sem preocupação com rigor metodológico ou com um propósito deliberado (sem excluir, no entanto, simetrias secretas).

O livro dos seres imaginários

Companhia das Letras

O livro dos seres imaginários

Jorge Luis Borges

R$ 89,90

Indisponível
Antologia pessoal

Companhia das Letras

Antologia pessoal

Jorge Luis Borges

R$ 64,90

Indisponível
Borges oral & sete noites

Companhia das Letras

Borges oral & sete noites

Jorge Luis Borges

R$ 74,90

Indisponível
Nova antologia pessoal

Companhia das Letras

Nova antologia pessoal

Jorge Luis Borges

R$ 84,90

História da eternidade

Companhia das Letras

História da eternidade

Jorge Luis Borges

R$ 69,90

História universal da infâmia (1935)

Companhia das Letras

História universal da infâmia (1935)

Jorge Luis Borges

R$ 59,90

Ficha Técnica

Título original: Otras inquisiciones (1952) Páginas: 232 Formato: 14.00 X 21.00 cm Peso: 0.299 kg Acabamento: Livro brochura Lançamento: 21/11/2007
ISBN: 978-85-3591-124-4 Selo: Companhia das Letras Ilustração:

SOBRE O LIVRO

Coletânea de ensaios publicados em revistas e jornais argentinos entre 1936 e 1952, Outras inquisições é uma miscelânea bem ao gosto de Borges: uma reunião aparentemente arbitrária de textos, sem preocupação com rigor metodológico ou com um propósito deliberado (sem excluir, no entanto, simetrias secretas).

Uma trama literária, uma divagação imaginativa sobre determinada etimologia, uma frase peculiar de uma obra esquecida de uma cultura remota, uma lembrança idiossincrática de um evento histórico, uma metáfora curiosa, uma anedota, tudo serve para inspirar Borges de forma inesperada para compor digressões eruditas e curtas sobre temas essenciais da tradição do pensamento ocidental: o tempo, a morte, a natureza da literatura, o sentido da história. Mas Borges está longe do sisudo padrão da exegese acadêmica, preferindo entregar-se ao jogo livre e irônico de suas hipóteses, dos juízos de valor caprichosos, dos paradoxos inesperados, da perspectiva insólita sobre temas da literatura e da filosofia, em que o tempo e o infinito se destacam como motivos centrais. O estilo narrativo e o caráter imaginoso da inquirição intelectual aproximam muitos destes ensaios do conto e dão, às vezes, a impressão de material disponível para a ficção ou de um texto de gênero ambíguo ou híbrido, mas sempre sugestivo e estimulante, em que as figuras do pensamento são também figuras da imaginação. O título, em que ecoa a etimologia esquecida do termo e a sinistra instituição das fogueiras punitivas, tinha um certo ar de provocação, em época de ditadura peronista, embora remetesse também a Inquisições, o primeiro livro de ensaios que publicou, em 1925, e renegou depois.

Sobre o autor